Receba as novas notícias no seu email

segunda-feira, 13 de junho de 2016

Revisão do Mês – Um novo modo de compartilharmos conhecimento sobre as NF

Caras leitoras e leitores deste blog.

O objetivo deste blog é transferir informações científicas para as pessoas e suas famílias com NF, porque as NF são doenças raras, o que dificulta o seu conhecimento pela maioria dos profissionais de saúde. 

Assim, procuro utilizar uma linguagem compreensível para todas as pessoas alfabetizadas, para que cada pessoa e sua família possam compreender melhor sua doença e desenvolver autonomia para decidir junto com os profissionais da saúde. 

Neste blog você encontra nas páginas permanentes ao lado: cartilhas, leis, artigos e links úteis. Além disso, já temos à nossa disposição cerca de 230 perguntas respondidas. Para acessar cada assunto nestas perguntas respondidas, basta entrar na caixa de perguntas ao lado e digitar o que deseja saber.

No entanto, entre as dezenas de e-mails que tenho recebido, a maioria traz perguntas bastante semelhantes àquelas que já respondi, indicando que as pessoas não estão utilizando a caixa de assuntos à sua disposição.

Por isso, peço novamente que veja na ilustração acima um exemplo de como você pode introduzir suas perguntas antes de enviar um e-mail para mim.

Reconheço que nossa tentação é grande de acharmos que nosso problema de saúde é especial e que não encontraremos resposta para ele nas perguntas feitas por outras pessoas. Especialmente porque as neurofibromatoses são doenças raras e não estamos acostumados a encontrar casos parecidos com os nossos ou de nossas famílias.

Por isso, para darmos um passo adiante no conhecimento geral das pessoas que acessam este blog, a partir de amanhã iniciarei o chamado REVISÃO DO MÊS, com a minha tradução e comentários dos principais trechos e informações de artigos científicos de revisão sobre NF publicados recentemente.

A primeira a ser comentada será “Avanços terapêuticos para os tumores das neurofibromatoses”, escrita pelos médicos Jaishri Blakeley e Scott Plotkin, da Faculdade de Medicina de Harvard, que foi publicado na revista Neuro-Oncology de maio de 2016.

Até amanhã.